Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

maga rosa

Oficina de artes esotéricas e criativas.

maga rosa

Oficina de artes esotéricas e criativas.

29
Abr20

Quarentena - dia 46

por maga rosa

quarentena - dia 46i.jpg

 

Há lugares que dispensam apresentações e este é um deles. Belo, mas selvagem o suficiente para não se tornar um lugar comum e assim continuar a ser um pequeno paraíso na terra. Ali sentimo-nos uns autênticos Robinsons Crosue.

 

A minha Helena de Tróia faz anos amanhã, mas astrologicamente foi hoje o dia certo. Aquele momento, depois do Sol dar a volta completa aos signos todos e tornar a passar no mesmo ponto onde esteve há 26 anos, quando ela respirou o nosso ar pela primeira vez. Raramente acontece na mesma hora do nascimento. Pode até ser um dia antes ou um dia depois. Desta vez, para ela, foi às 8 e tal da manhã. Esta noite será a data e hora oficial, a do calendário.

 

quarentena - dia 46.jpg

quarentena - dia 46a.jpg

quarentena - dia 46b.jpg

quarentena - dia 46c.jpg

quarentena - dia 46d.jpg

quarentena - dia 46h.jpg

quarentena - dia 46j.jpg

quarentena - dia 46e.jpg

quarentena - dia 46g.jpg

quarentena - dia 46l.jpg

quarentena - dia 46m.jpg

quarentena - dia 46n.jpg

 

🍀

 

 

 

18
Abr20

Quarentena - dia 36

por maga rosa

Quarentena - dia 36.jpg

Hoje a minha irmã fez anos (sim fez, porque nasceu ao mesmo tempo que o Sol, logo pela manhã bem cedinho). Estamos longe, pelo que a quarentena é feita cada qual na sua casa e em países diferentes, mas sempre perto do coração. Em tempos, (ela é emigrante desde muito novinha, faz jus a um mapa tão aventureiro, tão de signo Carneiro), quando uma ficava doente, a outra à distância também ficava. Com os anos isso deixou de ser tão notório, é certo. Às vezes eu sentia-a a minha gémea sem o sermos e mesmo tendo personalidades tão diferentes. O tempo de uma vida partilhado em conjunto limita-se às férias possíveis. Ano após ano. É o que há. Este ano parece-me que nem isso. Este vírus veio para trocar as voltas a todos, não há dúvida. Resta-nos aceitar e agradecer pelo que já nos foi permitido viver em conjunto e ter esperança que para o ano vai ser melhor.

 

Hoje foi mais um dia fechada em casa, mas o meu pensamento andou longe, a muitas milhas daqui…

 

🍀

16
Fev20

A testar a minha 35mm...

por maga rosa

A testar a minha 35mm9....jpg

Ontem foi dia de renovar as energias por sítios bonitos e com a proximidade do mar. Com um marido músico há datas importantes que nos passam ao lado, e o dia dos namorados é uma delas. Mas, como todos os dias são bons para namorar é data menos data e sem stresses. Ontem para compensar, lá fomos nós mas levámos companhia. A minha mãe. Ela como meia Sagitariana que é (pelo lado do ascendente) pela-se por um bom passeio e à falta de namorado, leva-a a filha e o genro. Para a minha alma cigana todos os destinos são válidos, mas o mar é sempre uma boa escolha.

 

Sem planos, a paragem para o almoço foi ao acaso e a escolha não podia ter sido melhor. O destino levou-nos a entrar num restaurante na beira da estrada principal da pacata vila da Foz-do-Arelho. Dizem que os olhos também comem e os meus arregalaram-se com a beleza para lá da porta de entrada. Gostos são gostos e cada um tem os seus, mas que a decoração do espaço é toda a minha cara, lá isso é. Fiquei rendida, à comida, à decoração e à tranquilidade que se sente das portas para dentro. Nota 10.

 

A testar a minha 35mm....jpg

A testar a minha 35mm4....jpg

A testar a minha 35mm8....jpg

A testar a minha 35mm10....jpg

A testar a minha 35mm3....jpg

A testar a minha 35mm1....jpg

A testar a minha 35mm6....jpg

A testar a minha 35mm7....jpg

A testar a minha 35mm2....jpg

A testar a minha 35mm5....jpg

De barriga e alma cheias lá fomos nós nas calmas, de carro, pela costa até à Nazaré onde comi o maior pastel de nata que já vi (mas que não fotografei). De caminho passámos pelo Sítio e pela Praia do Norte, mas com o Carnaval à porta, o dia ensolarado e as famosas ondas, não havia metro quadrado vazio de gente e de viaturas. Deu para ver o mar e alguns surfistas ao longe e tive que me conter nas fotos, que a minha pequenina não alcança assim tanto. Não se pode ter tudo.

 

A testar a minha 35mm12....jpg

A testar a minha 35mm11....jpg

A testar a minha 35mm13....jpg

A testar a minha 35mm14....jpg

Para já e dentro das minhas limitações, estou satisfeita com a aquisição. Vou continuar a fazer experiências, mas já passou no teste.

 

🙏

 

07
Mai19

O aniversário aqui da maga...

por maga rosa

Aniversário2019.png

 

Da vontade de me meter à estrada sem planos e nem destino, acabei a festejar o aniversário a dois à beira mar, que é um porto sempre seguro para a minha alma. Por coincidência (ou nem por isso, que eu cá acredito mais em sinais), era dia dos homens do mar, pelo que fomos recebidos com pompa e circunstância com direito a desfile e buzinadelas dos barcos engalanados. Foi dia de festa para todos. 

 

E que bem que me soube a caminhada pela areia, mesmo levando um baptismo de água salgada ténis adentro. Vim de lá com as energias lavadas e renovadas.   

 

Aniversário2019a.png

 

Aniversário2019b2.png

 

O (meu) dia terminou com uma pequena celebração entre a família residente, nada programada, mas que no final encaixou perfeitamente. Há  celebrações a dobrar que vêm mesmo a calhar e esta foi uma delas.

 

(Para quem não queria bolo… Não só soprei as velas, como ainda dei por mim a formular o desejo da praxe debaixo da mesa)

 

E o champanhe guardado há séculos por descuido, fez pendant com o mini-bolinho trazido pela filhota. Vá lá que ainda borbulhava!

 

Aniversário2019c.png

 

Não posso terminar sem escrever sobre o meu sonho da noite anterior ao aniversário, uma daquelas coincidências que são tudo menos acasos e que nos deixam a pensar.

 

 

Sonhei que fazia anos. Ia numa rua qualquer e ao passar a uma porta recuei e entrei. Talvez fosse a minha casa. A minha irmã (que tinha vindo cá) e as minhas duas filhas prepararam-me uma surpresa. E que surpresa! Havia flores. Um rasto de flores desde a entrada até à outra ponta da sala. No chão uma fileira de cabeças de flores coloridas, umas com pé, outras cortadas rente, mas de muitas espécies diferentes. Não resisti e segui o caminho de flores até junto da mesa. Em cima desta estava um envelope grande que não cheguei a abrir porque acordei. O que será que continha?

 

De manhã, desci as escadas e sorri ao ver a caneca com o ramo de flores em cima da mesa… Não era um caminho de flores e nem sequer estavam no chão, mas existiam. Tinham sido as minhas filhas enquanto eu dormia…

 

Querem saber o que tinha dentro do envelope?

 

Um dia talvez vos conte…

 

É que afinal havia mesmo um envelope, apenas bem mais pequenino e cor-de-rosa, surpresa das filhotas.

 

💗

 

ps. as fotos do carro e na praia foram tiradas com telemóvel ( como escrevi acima, fui sem planos e sem rotas, pelo que a máquina fotográfica com que fotografo habitualmente ficou em casa). 

08
Ago18

Pedras d'Almeirim

por maga rosa

Pedras d'Almeirim.jpg

 

Há pessoas que têm iniciativa e os de signo Carneiro (Áries para os nossos irmãos brasileiros), são peritos nisso. Não é por acaso que é o signo que abre cada ciclo astrológico. A minha irmã é uma dessas pessoas. Desta vez decidiu (não apenas decidiu como fez!), recriar um grupo de pedras pintadas aqui na nossa cidade, ideia que trouxe do local onde mora no Reino Unido. Meteu mãos à obra e das suas breves férias entre nós nasceram algumas obras de arte. Legado este que nos deixou e agora cumpre-nos a nós, família e habitantes em geral, continuar e fazer crescer.

 

Não há dúvida de que é uma ideia bem bonita, que tanto pode ser executada por miúdos quanto por graúdos. E uma óptima forma de ocupar os tempos livres, puxar pela criatividade (por mais pequena que seja) e de aproximar as pessoas entre si.

 

Para o fazer, é bem simples!

Arranjar algumas pedras (sem destruir obra pública ou privada, como é óbvio), algumas tintas e um verniz para terminar e isolar o trabalho, para que a pintura não se estrague quando a pedra andar lá por fora a passear. A minha irmã usou verniz transparente para unhas, daquele bem baratinho. Um frasquinho dá para imensas pedras. Quem tiver verniz para móveis, já não precisa de comprar esse item. Tintas acrílicas, guaches, lápis, tudo serve. Cada um usa o que tem e não é necessário grande investimento.

 

Na parte de trás escrever (com caneta de feltro, ou daquelas para acetato ou CD´s):

 

# Pedras d’Almeirim

# (o seu próprio nome ou alcunha)

Facebook

 

Pedras d'Almeirim1.jpg

 

Deixar secar um pouco antes de passar a camada de verniz para que não esborrate.

 

E voilá! Tem a sua obra pronta!

Agora é só deixar em algum canto da cidade para que alguém a encontre. Para quem souber desta iniciativa, tira foto à pedra e publica na página com o local onde a encontrou e o nome que lá está escrito (ou foto da parte de trás também).

Mesmo que quem encontre a sua pedra não a publique, não fique triste. Lembre-se que já alegrou o dia de alguém! ;)

 

Se tropeçar em alguma pedra pintada, tem duas opções, ou a fotografa para o grupo e a volta a colocar em algum lugar para que outros a encontrem, ou fica com ela e a estima.

 

Pedras d'Almeirim2.jpg

 

 Eu encontrei esta bonita casinha das fadas, mas como tive um ataque de apego (egoísmo  ), não fui capaz de a deixar noutro lado para que mais alguém a encontrasse. Gostei tanto dela que agora já é um pisa-papéis na minha secretária. Para compensar, conto pintar a duplicar ou triplicar e espalhar por aí!  

 

#Mila

 

Grupo no facebook

01
Mai17

Castelo de Almourol e as águas do Tejo...

por maga rosa




Ontem fez-sea festa a meio do rio Tejo, com direito a bolo de aniversário e visita aocastelo de Almourol. Éramos doze no barco, incluindo o barqueiro. No momento decantar os parabéns, tínhamos água a toda a volta e a ilha com o castelo lá aofundo. Cenário magnífico. Sensação indescritível. O dia amanheceu sombrio echuvoso, mas S. Pedro presenteou-nos com um bonito final de tarde de sol, mesmoa tempo de fazermos o nosso passeio. A aniversariante foi apanhada de surpresa,não sabia ao que ia, onde ia e quem a esperava no ponto de chegada. Valeu apena todos os telefonemas que fui fazendo ao longo da semana e as pesquisas nanet sobre o local e formas de o visitar. Estivemos todos unidos com uma intençãoúnica. Proporcionar um aniversário inesquecível. Foi conseguido! 
Àsvezes não é preciso muito para fazermos a felicidade de alguém e para sermosfelizes, por extensão.


O Castelode Almourol está situado numa pequena ilha a meio do Rio Tejo, no concelho deVila Nova da Barquinha e distrito de Santarém. Dá para chegar ao castelo embarcos que se encontram perto deste (a distância à margem não é muita), ouentão aproveitando para fazer um passeio um pouco mais longo, indo do cais doArrepiado (foi o nosso caso), ou então do outro lado do rio, no cais de Tancos.


Conta a tradiçãopopular que no castelo viveu uma princesa que se apaixonou por um prisioneiromouro, isto no tempo dos combates entre cristãos e muçulmanos e a reconquistado território português. Tendo a princesa conhecimento que o pai a queria casarcom um cavaleiro contra a sua vontade, fugiu com o seu amado e desaparecerampara sempre. Conta a lenda, que nas noites de S. João há quem já tenha visto ocasal abraçado, no alto da torre mais alta. 


O bolo com creme de queijoe muito saboroso, foi feito pela minha filha mais velha e cortado durante aviagem de volta.






Fiquei com vontade derepetir este passeio, mas com mais tempo para explorar melhor a ilha e absorveras energias do local. 
27
Abr17

Ainda no reino das cidades encantadas...

por maga rosa




Desta vezfoi Glastonbury a cidade escolhida para as nossas aventuras e descobertas, masàs três mosqueteiras juntaram-se também o jovem d'Artagnan e Milady. Aqui opasseio foi mais ao estilo inglês, com aguaceiros e a fugir da chuva por faltade guarda-chuvas. Partimos cedo de Bristol, de autocarro, e pelo caminho (maisuma vez) fiquei encantada com o verde tão verde dos campos. As árvores alembrar cenários de mistério, as encantadoras casas com paredes de tijolo etoda uma atmosfera que me faz sempre sentir como personagem de um conto defadas, ou uma deusa das lendas arturianas. Talvez a fada Morgana, deusaTríplice ou feiticeira benigna ou então a Dama do Lago, sacerdotisa na ilha deAvalon. 

Glastonburyé uma pequena cidade a 50 km para sul de Bristol e muito conhecida pelas suaslendas e mitos e um festival de música que se realiza anualmente ali perto. Temum ambiente muito esotérico. As ruas, as lojas, tudo apela ao nosso sextosentido e ao mesmo tempo, é muito Zen. Senti-me muito bem. Lá senti-me em casa.Do nosso grupo ainda houve quem saísse de lá de cabeça cheia com as “visões” deuma médium…Para quem pretender esse tipo de consultas ou comprar materialesotérico, ali é o local certo.

Esqueci-mefoi de fotografar as enormes batatas recheadas que nos aqueceram o estômago nahora do almoço. 😃


Enquanto eu e a minha filhapassávamos a pente fino todos os berloques, bugigangas e pedrinhas coloridas nointerior de uma das lojas, nas traseiras o meu sobrinho deliciava-se com oespaço destinado aos mais pequenos. 


Quem é a maga rosa?

É uma alma antiga, bruxinha ou alquimista, que sabe que é o sonho que comanda a vida e que o essencial só é visível ao coração, pelo que coloca paixão em tudo o que faz, mesmo que aos olhos dos outros não passe de uma lunática. Quando desce à terra, deita cartas e lê nos astros, enquanto vai espalhando pinceladas de cor e boas energias!

Mais sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • maga rosa

    * Aliás, PDI (peço desculpa pelo palavrão... Porra...

  • maga rosa

    Pois, deve ser mesmo isso! Como diz o marido: "é o...

  • Isa Nascimento

    Maga, minha querida... acho que o problema é mesmo...

  • maga rosa

    É isso mesmo, é tudo uma questão de opções... Se p...

  • Bruxa Mimi

    Foi a vossa opção e deixou-vos felizes... Então qu...

Em destaque no SAPO Blogs
pub