Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

maga rosa

Oficina de artes esotéricas e criativas.

maga rosa

Oficina de artes esotéricas e criativas.

26
Fev20

A bruxa que há em mim

por maga rosa

A bruxa que há em mim.jpg

 

Carnaval para mim representa brincadeira, risos, criatividade e liberdade. A liberdade de podermos ser as personagens que nos apetecer sem sermos apelidados de loucos (se bem que isso nem me preocupa assim tanto).

 

Em retrospectiva, dou por mim a pensar que a fantasia que me encaixa na perfeição (para além de palhaça) é a de bruxa. E é aquela de que mais me mascarei até hoje. A bem ver, esta já está na minha essência só não uso as vestes típicas e o chapéu de bico no meu dia-a-dia.

 

Se ter uma intuição mais afinava é ser bruxa, então eu sou.

Se gostar das mezinhas que a natureza nos dá é ser bruxa, então eu sou.

Se procurar respostas nas cartas é ser bruxa, então eu sou.

Se ler o perfil astrológico das pessoas é ser bruxa, então eu sou.

 

Vendo bem, o ser bruxa está-me no ADN. Tenho uma mãe que é cartomante. À minha avó paterna, que não sei bem até onde iam os seus conhecimentos nestas artes, cheguei a ver, ainda eu era criança, aplicar ventosas nas costas da minha tia para lhe tirar dores. Isto foi uma coisa que sempre me suscitou curiosidade. Onde terá ela aprendido a técnica? Tendo em conta que era analfabeta… Nem o nome dela sabia escrever. E não eram uns copinhos quaisquer não senhor. Tinha as ventosas como devem ser, lembro-me muito bem. Também a vi a cortar o quebranto, ou lá o que era, num pau de figueira. Se isto não é ser bruxa, então não sei o que seja.

 

E depois havia a minha avó materna, que morreu jovem com um bebé no ventre e dizem que era santa, pela maneira de ser e porque o corpo se manteve intacto durante todos os anos em que permaneceu debaixo da terra. Às tantas cansaram-se de a manter enterrada e levaram-na sabe-se lá para onde, já que a terra a devolvia sempre como tinha sido lá posta. À minha mãe recusaram-se a dar explicações alegando não haver registo. Há quem diga que a levaram para uma igreja. Só perguntas sem resposta, mas de uma coisa tenho a certeza, havia ali qualquer coisa fora do comum naquela minha antepassada.

 

Numa leitura da aura foram-me descritas algumas vidas antes desta e era sempre alguém que fazia uso de mezinhas e da magia, ou com conhecimentos fora do tempo e do habitual. Pelos vistos, está-me no sangue e na alma.

 

Bem, vivêssemos nós há uns séculos atrás e eu a esta hora já estava na fogueira.

 

A bruxa que há em mim1.jpg

 

22
Dez19

Natal, Yule e a magia do Inverno

por maga rosa

Yule.jpg

 

Hoje, dia 22, quando acordarmos pela manhã, podemos agradecer ao Senhor do Tempo a visita do Inverno que aguardou silenciosamente a sua vez de reinar e agora chega de mansinho. Traz vestido um longo manto branco debruado a cinza, ornado por contas de gotas de chuva e na cabeça todos os galhos das árvores despidas. Atrás de si deixa um aroma a velhoses de abóbora e uma suave magia com as cores do Natal e luzinhas a piscar. Na sua mão esquerda ergue uma tocha para iluminar as longas noites escuras como breu, enquanto lança braçadas de azevinho de bolinhas vermelhas e dá lustro às folhas de agulhas verde-escuro dos pinheiros.

 

Bem- vindo Senhor Inverno!

Feliz Natal. Feliz Yule.

 

 

                                                                                                                             Imagem: Pinterest

06
Out19

Nos aposentos da Rainha de Copas...

por maga rosa

Nos aposentos da rainha de copas1....jpg

Toda a corte tem a sua Rainha e aqui impera a do naipe de Copas, a dos corações vermelhos. Não a Rainha vermelha, mas a outra. A do coração vermelho de paixão pela vida, pelo que faz, pelo gostar. A que ama o amor, as pessoas e as flores e não anda a cortar cabeças. Não é caprichosa, é altruísta. A defensora das boas causas, a confidente, aquela que nas cartas segura o cálice de água. E água é símbolo de amor e emoções. E quem segura o cálice tem o controlo. Mas não é má como a pintam aqueles que teimam em lhe chamar de Rainha Vermelha. A do filme. Aquela que ficou de fora da minha história e não a outra, a que vive nos meus aposentos mas não na minha parede.

 

E o coelho lá segue apressado ao toque da corneta e do tic-tac do relógio…


❤️

10
Ago19

Candeia que vai à frente...

por maga rosa

… alumia duas vezes! – já dizia o ditado popular.

 

Candeia.jpg

 

E esta aqui vai “iluminar” o jardim das fadas. Foi a minha tarefa de hoje, tirar-lhe a ferrugem e dar-lhe cor. Cá em casa gostamos de objectos com história. Peças antigas que por muito simples que sejam, tratadas com o carinho e empenho que merecem, podem revelar grande beleza. E mais, são peças únicas! Deste candeeiro já lhe perdi a conta aos anos que está na nossa posse. Décadas. Penso que terá vindo da casa dos meus pais, a mesma casa onde vivi em solteira. Da casa de onde saí casada. Hoje deixou de ser a candeia com ferrugem pendurada na casa do fundo, para fazer parte de um projecto que me encanta e tem iluminado os meus dias. É a porta de entrada para um mundo de sonhos como a Alice no espelho. É o meu mundo encantado e o meu pequeno paraíso. É o meu recanto zen e inspirador. É a passagem para a oficina da maga.

 

01
Jul19

O jardim das fadas...

por maga rosa

O jardim das fadas....jpg

 

A saga do jardim das fadas continua. Enquanto houver vontade, enquanto houver onde e enquanto houver sonhos, as flores continuam a crescer no meu jardim. É um sonho que vai ganhando forma lentamente, ao ritmo da sombra que vai e volta. Do tempo que vou ganhando em cada manhã ao sol célere que teima em vir cada vez mais cedo. E em se pôr cada vez mais tarde. Ou em aquecer cada vez mais a minha tela cada vez menos em branco. Outros detalhes esperam a sua vez de serem colocados no lugar. Ou de serem produzidos… Enquanto isso, a selva cresce a olhos vistos. As pedras mudam de lugar (desconfio que as fadas já andam por aqui) … As nossas patudas fazem das suas. E eu limpo, lavo, corto uns ramos. Pinto. E torno a limpar e a olhar para as pedras que esperam a sua vez. E preparo mais cores.

04
Nov18

Uma noite das bruxas diferente...

por maga rosa

noite-de-bruxas2.jpg

 

Aqui as bruxinhas é que mandam no tempo e se o “Natal é quando o homem quiser”, o Halloween é quando as bruxas assim o decidem. Este ano atrasámos o calendário duas noites por conveniência geral e a Sexta esteve ao rubro cá em casa. Até a Milka participou com o seu casaquinho amarelo, mas chegou inteira ao final da noite.

 

Dos cerca de 20 convidados alguns ficaram pelo caminho. As vassouras devem ter ficado sem combustivel ou desviaram-nos para outros caminhos. Treze pessoas fizeram a festa, número que teima em acontecer cá por estes lados nos mais diversos festejos.

 

noite-de-bruxas10.jpg

 

noite-de-bruxas.jpg

 

noite-de-bruxas1.jpg

Doce ou travessura?

A senha de acesso aos aposentos bruxeliantes: 1 provérbio!

 

noite-de-bruxas4.jpg

 

noite-de-bruxas9.jpg

 

noite-de-bruxas3.jpg

 

noite-de-bruxas5.jpg

 

noite-de-bruxas7.jpg

 

noite-de-bruxas11.jpg

 

noite-de-bruxas6.jpg

 

A mesa da tortura. A prova das iguarias das bruxas. A expectativa e o suspense. Bom ou mau? Seis equipas (a conviva mais nova ficou como assistente), seis lugares à mesa (a dobrar, vá). Os sabores variaram entre o bom e o horrível. Arroz-doce com sabor a nada (e vá, experimentem comer arroz-doce sem açúcar e sem sal e depois contem-me!), broas de alho (este ingrediente secreto não podia faltar numa mesa de bruxas ehehehe) e bebidas com e sem álcool, mas daquele que queima até os fungos mais resistentes das unhas dos pés dos monstrinhos. (não sei quem teve a brilhante ideia de fazer ginginha com álcool quase puro). Vá lá que podia ser bem pior. E seguiram-se as provas dos provérbios e da mimica.

 

noite-de-bruxas8.jpg

 

Vencedores fomos todos, mas houve um par que alcançou mais pontos, os “Black Cats”.

 

Saudações maléficas!   

 

                                                                                               Créditos das fotos: maga rosa                                                     

 

30
Out18

No reino das mandalas...

por maga rosa

mandala1.jpg

 

Esta é uma mandala by maga rosa. Uma mandala cheia de significados para um cantinho especial. Aqui ainda está no papel, mas na realidade o projecto já está em andamento e em breve publicarei o progresso.

 

A palavra “mandala” significa círculo e é formada por um centro à volta do qual se vão desenhando formas geométricas ou outras figuras. Mais ou menos elaboradas, mais ou menos coloridas, as mandalas são muitas vezes usadas em meditação e para ajudar na concentração.

 

A vida é cíclica, assim como o tempo. A cada final de ano fecha-se um ciclo, para logo a seguir se iniciar outro. O mundo também é redondo. E esta figura tão usada entre os budistas é a perfeita e bela representação do mundo. Do mundo de cada um e como cada um o vê e o pinta. E o meu mundo (esotérico pelo menos), está ali colorido naquela folha de papel em forma de esboço.  

 

 

mandala.jpg

 

 

                                Créditos das imagens: maga rosa

Quem é a maga rosa?

É uma alma antiga, bruxinha ou alquimista, que sabe que é o sonho que comanda a vida e que o essencial só é visível ao coração, pelo que coloca paixão em tudo o que faz, mesmo que aos olhos dos outros não passe de uma lunática. Quando desce à terra, deita cartas e lê nos astros, enquanto vai espalhando pinceladas de cor e boas energias!

Mais sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • maga rosa

    É isso mesmo, é tudo uma questão de opções... Se p...

  • Bruxa Mimi

    Foi a vossa opção e deixou-vos felizes... Então qu...

  • maga rosa

    Sim, pode! Mas não seria a mesma coisa ter que lim...

  • Bruxa Mimi

    Casar em tempo de pandemia também pode ser na Igre...

  • maga rosa

    Força!Se precisares de alguma dica, cá estou para ...