Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

maga rosa

Oficina de artes esotéricas e criativas.

maga rosa

Oficina de artes esotéricas e criativas.

05
Dez19

A colheita deste ano

por maga rosa

A colheita deste ano1 (1).jpg

Há cinco anos tínhamos nós uma trepadeira que só não invadiu os quintais vizinhos porque não calhou. Ou porque nós não a deixámos esticar-se mais. O nosso quintal já por si uma autêntica selva, ficou que nem cenário de filme do Tarzan, com aquelas corriolas todas por ali a baloiçarem. Às vezes punha-me a espreitar através da vidraça da janela da cozinha para ver a Chita, mas a única coisa que vi foram as minhas gatas ou algum melro a voar de ramo para ramo e a saltitar no meio dos canteiros à procura de alguma minhoca. Houve até momentos em que tive a sensação de ouvir o famoso grito do galã, mas afinal era só o vento. Da nespereira transformada em chuchuzeiro, resultou a modéstia quantia de 230 quilos e mais meia dúzia de chuchus. Ou seriam pimpinelas?

 

Este ano demos permissão a um pezito para crescer, mas confinado a um daqueles canteiros estreitinhos que o marido construiu com o tijolo de burro dos vizinhos. Mesmo assim, entre ramos sobreviventes pendurados por cima do meu jardim das fadas e alguns que se escapuliram e esconderam no meio da árvore grande, colhemos bem uns 30 kg. Uns acabaram feitos em doce, outros repousam em metades no congelador para as sopas e uns poucos esperam (mas não esquecidos) no saco. Se me descuido, não tarda tenho uma selva dentro de casa, tal é a velocidade com que aquilo grela e se desenvolve.  

 

Podem ver a selva do outro ano aqui e aqui com a receita do doce de Chuchu.  

 

A colheita deste ano3.jpg

 

A colheita deste ano.jpg

 

A colheita deste ano1.jpg

 

A colheita deste ano2.jpg

 

A colheita deste ano (1).jpg

 

06
Jul16

Doce de pitanga

por maga rosa

Do meu pedaço de verde, de vez em quanto saemcoisas bem deliciosas. Desta feita foi a vez das pitangas terem o papelprincipal na cozinha da maga. 

1 kg depitangas (vermelhas e sem caroços)
1/2kg de açúcar amarelo
aque se junta uma generosa pitada de boas intenções e outra de amor!

Deixa-se tudo na panela atéo açúcar ficar líquido e depois vai a lume brando. Eu já disse que os caroçosse tiram previamente? É isso mesmo! Essa é a parte mais chata de todo oprocesso, mas com ajudantes como os meus fez-se num ápice!





Convém ir mexendo para nãoqueimar no fundo e quando ao passar com a colher, fizer estrada, está pronto!

Aqui, esta iguaria dosdeuses nunca dura muito tempo (pela pequena quantidade e pela gula doscomensais),mas mesmo assim convém esterilizar os potes de vidro em água aferver para conservar o doce.




Para meu espanto, quando ofiz pela primeira vez, saiu um doce com a consistência de marmelada e assim temsido ano após ano, colheita após colheita. O marido gosta dele no pão, já eu,perco-me por uma generosa camada em cima de bolachas. Eu sei, é muito açúcar! Maso sabor agridoce combina tão bem com uma bolachinha (estas são digestivas). J

A minha pitangueira só podeser muito especial. Todos os anos nos agracia com duas colheitas de belosfrutos e ainda é berço para a filharada de alguns pássaros que fazem do nossoquintal o seu habitat. 

02
Mai16

Dois bolos para a aniversariante

por maga rosa


É o quefaz festejar o aniversário em dois tempos, a festa prolongou-se e teve direitoa dois bolos feitos pela mana. E não é que ela tem jeito para a coisa?! Com assuas mãos de fada, lá foi dando forma àquele que cá em casa passou a chamar-sede bolo vermelho. Dos ingredientes não reza a história, mas caso haja alguéminteressado neles, que se manifeste.
Doisbolos, a mesma massa, as mesmas rosas, mas decoração diferente. Para o jantarde Sexta, levou cobertura de massa de açúcar, pérolas e uma fitinha dourada epara o almoço de Sábado, ficou-se pelo despido e cobertura só no topo. O açúcarem pó foi o toque que faltava.

Cada um com a sua vocação e adela parece-me que a foi encontrar na cozinha! 



15
Nov14

Doce de goiaba

por maga rosa


Depois das pimpinelas foi a vez do doce de goiaba. Tratou-se de umaestreia para mim, por isso o passo-a-passo foi feito um pouco às “cegas” e naexpectativa do que ia sair dali!...


Ingredientes
Goiabas
Açúcaramarelo (cerca de metade do peso dos frutos inteiros)
1 dl de água


Comecei por descascar os frutos aos quais retirei as sementes e cortei em pedaços pequenos. Reservei. No liquidificador juntei as cascas, as sementes e a água. Depois de tudo triturado, coei num passador para separar os caroços da "polpa" extra obtida. Numa panela coloquei esta polpa resultante das cascas e das sementes e os pedaços de fruta reservada anteriormente, ao que juntei o açúcar e deixei descansar até este derreter por completo. 

Desta vez não acrescentei um pau de canela e nem a casquinha de limão para não alterar o sabor natural do fruto. Foi intencional.



Ficou pronto quando fez estrada no fundo do tacho.
O resultado final surpreendeu-me. Ficou muito bom! (pena que as goiabas eram poucas e só deu para dois pequenos frascos). ;)




10
Nov14

Doce de chuchu

por maga rosa
 Na sequência do "post" anterior, aqui deixo a receita do meu doce de chuchu (ou pimpinela).

Ingredientes
- 3kg de polpa de chuchu
- açúcar (metade do peso da polpa) *
- pau de canela
- casquinha de limão (opcional)
- nozes partidas em pedaços pequenos

Depois de descascar os chuchus e retirar a semente (inteira de preferência e que se reserva para outra finalidade), ralei-os no robot de cozinha para ficarem em tiras como se faz com a cenoura para saladas. Coloquei a polpa na panela com o açúcar (usei amarelo) e o pau de canela e deixei em repouso umas horas para o açúcar derreter e se transformar numa calda. Para quem gostar do sabor  a limão, este é também o momento de o adicionar.

A cozedura é feita em lume brando. Leva tempo a fazer, mas o resultado final é ótimo! Vou mexendo e só quando faz estrada no fundo do tacho, é que está no ponto. Quanto às nozes (ou amêndoas), junto-as ao preparado a meio, quando o liquido já se evaporou em grande parte e já começa a ter consistência de doce.

* quanto ao açúcar, usei um pouco menos que a quantidade original, (ou seja, do 1,5 kg retirei cerca de 200 gr.), mas faço sempre isso em qualquer doce ou sobremesa.








A semente é esta "coisa" branquinha que aparece aqui na imagem. Retira-se a pele à volta e reserva-se o miolo, que se pode juntar a sopas de legumes e se come inteiro.

Estas sementinhas da tijela, foram comidas hoje ao jantar, num guisado!  ;)



Quem é a maga rosa?

É uma alma antiga, bruxinha ou alquimista, que sabe que é o sonho que comanda a vida e que o essencial só é visível ao coração, pelo que coloca paixão em tudo o que faz, mesmo que aos olhos dos outros não passe de uma lunática. Quando desce à terra, deita cartas e lê nos astros, enquanto vai espalhando pinceladas de cor e boas energias!

Mais sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

Em destaque no SAPO Blogs
pub